Regras para passagens aéreas com crianças

Viajar com crianças para muitos pais pode ser motivo para preocupação e há regras para essas passagens aéreas. É uma preocupação constante e para ajudar a esses pais, vamos explicar e dar algumas recomendações, que são dicas úteis que são para esses momentos no aeroporto, no embarque e dentro de um avião e com muitas perguntas, com as suas respostas, aqui teremos.

A primeira pergunta  

É com qual idade uma criança paga por uma passagem aérea? Muitos pais tem essa dúvida, quando se pensa em voar de avião e a resposta pode ser, quase sempre a mesma. As crianças pagam passagem e em certas condições, como as de que as maiorias das empresas transportam menores de dois anos de graça em voos que são domésticos.

As controvérsias

Porém, há algumas controvérsias com essa passagem e algumas empresas aéreas cobram 10% do valor que é pago pelo adulto e se a criança ocupar um assento será cobrado uma passagem e algumas companhias podem dar descontos para crianças que tenham idade menor que 12 anos, mas não é uma prática obrigatória.

A condição para a criança viajar

Estamos nos referindo a idade mínima para essa viagem com criança em um avião e que pode ser a partir dos 7 dias de vida dessa criança, no Brasil. Se a criança tiver menos tempo de vida, os seus sistemas respiratórios e circulatórios ainda estão em desenvolvimento e fazendo com que o bebê não possa viajar, porém é muito interessante que se consulte antes o seu pediatra.

A recomendação de alguns pediatras

A recomendação de alguns pediatras para uma primeira viagem dos pais ou responsáveis com uma criança é a de que se espere um pouco e pelo menos uns 28 dias de vida, antes desse bebê realizar essa primeira viagem. Não se esqueça para essa viagem com esse bebê entre o período de 7 dias será preciso que apresente uma autorização médica para a criança e a mãe.

Em viagens internacionais

Nas viagens internacionais para as crianças viajarem, elas pagam por essa passagem aérea. A diferença fica por conta dos bebês de colo que são cobrados por essa viagem, com taxas que são de embarque, impostos e até uma porcentagem do valor que é da tarifa destinada para um adulto. Nos voos internacionais as restrições são as mesmas para levar crianças com dias de vida.

Valendo o bom senso

Numa viagem internacional com criança e de avião, vale o bom senso de seus pais, por causa desses voos serem mais demorados e até mais desgastantes e por causa disso, os pais ou responsáveis devem avaliar bem essa viagem, para decidir em levar ou não uma criança. Avalie a distância e o tempo que levará nessa viagem e tire as suas conclusões.

Os carrinhos

Os equipamentos usados por crianças como os carrinhos e cadeirinhas somente são autorizados por algumas companhias aéreas que deixam que se carregue a criança numa cadeirinha até uma idade limite. No geral, é bom verificar se essas especificações são aceitas por determinada companhia e se o item tem um certificado que é emitido para uso aeronáutico.

Até o momento do embarque

Até esse momento o carrinho de bebê é permitido e depois ele deve ser recolhido e despachado para que seja transportado pelo compartimento de bagagem. Esses carrinhos devem ser desmontáveis, com o peso não excedendo ao limite que é o especificado para a sua franquia e durante o desembarque esse carrinho deve ficar disponibilizado na saída do avião.

Serviços de berço

Algumas companhias oferecem esse serviço, só que será necessário que faça essa solicitação com muita antecedência e até oferecem refeições que são especiais para os pequenos. Para que isso aconteça, será preciso que peça com antecedência. O banheiro desses aviões, na maioria dos casos, tem trocadores e se não houver um local reservado ou precise de mais espaço, peça ajuda a tripulação.

A bagagem para a viagem com as crianças

É muito importante nessa viagem com crianças que se organize também a bagagem delas e separe itens que não podem faltar, como as fraldas, os lenços umedecidos, paninhos, roupas extras, blusas para o frio, cobertor menor e seus remédios que são costumeiros. Leve as suas mamadeiras já prontas, as suas papinhas e outros alimentos que os pequenos consomem. Cuidado para não exceder na quantidade desses itens.

Para distrair os pequenos nessa viagem

Leve também brinquedos para a distração desses pequenos e escolha para colocar na mala, os brinquedos que são pequenos e que não faça barulho, a dica é levar os seus bichos de pelúcia ou livros que servem para a distração dos pequenos. Destacamos aqui que se o bebê for carregado no colo, as roupas e os seus acessórios devem ser levados na mala de seus pais.

Os documentos em viagens nacionais  

Crianças, bebês e adolescentes até 16 anos e que estão acompanhadas por um parente de até 3º grau, como os pais, avós, tios, bisavós, mãe e irmãos que sejam maiores que 18 anos, é exigido um documento que comprove esse grau de parentesco e se a criança estiver acompanhada por uma pessoa de maior idade e sem parentesco irá precisar de uma autorização expressa do pai, mãe ou responsável.

Para as viagens internacionais

Em viagens para o exterior essa documentação exigida é um pouco mais rígida e exige o passaporte, bem como, se o passaporte não tiver os nomes dos pais, será necessário que também apresente um documento de identificação, como a identidade ou certidão de nascimento, para que seja provado a sua filiação e mudando essas regras para quem não tiver sendo acompanhada por algum de seus parentes.

Acompanhantes sem grau de parentesco

Nas viagens internacionais os acompanhantes que não tem grau de parentesco, a criança ou adolescente irá precisar que se tenha uma autorização de seus pais, com firma reconhecida em cartório, em duas vias ou ter uma autorização judicial, para tal. Essa autorização pode ser obtida pela Vara da Infância e da Juventude, por seu responsável. Siga as nossas informações e tenha muito prazer em sua viagem.

O visto em um país e algumas dúvidas

O visto é uma autorização que é condicional e dada por um país a um estrangeiro, para lhe permitir a entrada, permanecer dentro desse país ou sair dele. Geralmente, nesse visto é encontrado os limites dessa duração da estadia do estrangeiro, no território dentro de um país de entrada, as datas de entrada e o direito dessa pessoa de trabalhar ou de estudar nesse país, entre outros, que veremos aqui.

Uma dúvida para muitas pessoas

É a de como tirar esse visto. Essa é uma dúvida para muitas pessoas. Países como o Estados Unidos e Canadá, escolhem a maneira como esses estrangeiros devem solicitar esse visto, sendo para cada destino esse pedido sendo diferente. Quem entra num país sem o visto ou exerce uma atividade não autorizada, se torna um imigrante ilegal e pode ser deportado a qualquer hora.

Os diferentes tipos de visto

Esses tipos de visto são uma autorização de sua entrada em um país. Há o visto de turista, para fins turísticos, o visto de estudos, com duração conforme o período do curso, o visto de residência para quem ficar num país por mais de 1 ano, o visto de estadia temporária para quem ficar por menos de 1 ano, o de trabalho temporário, como a de agências de trabalhos na Disney.

O visto de negócios que é destinado para muitas atividades, como a de pesquisas, de trabalho voluntário, para realizar palestras ou para empregados domésticos e o visto para investidores, onde a pessoa precisa desembolsar até 500 mil dólares para investir em uma empresa no pais que deseja tirar o visto e ajudar na economia legal de um determinado país.

O visto de trânsito aeroportuário, para se passar de avião por alguns países, visto de membros de uma tripulação, visto privado para o convite de um residente no país visitado, o visto por razões médicas, o visto de intercâmbio cultural, para atletas e artistas, o visto de refugiados, o de nômade digital, de jornalista, de asilo político, de casamento, de cônjuge, pensionista, diplomático e de cortesia.

 Alguns países que precisam de visto

O visto é um carimbo ou um papel anexado no passaporte e os países que irão precisar desse documento é o Afeganistão, Angola, Arábia Saudita, Argélia, Austrália, Azerbaijão, Bangladesh, Bahrein, Benim, Brunei, Burkina Faso, Burundi, Butão, Cabo Verde, Camarões, Camboja, Canadá, Catar, Chade, China, Comores, Coreia do Norte, Costa do Marfim, Cuba, Djibuti, Egito.

Os Emirados Árabes Unidos, Eritreia, Estados Unidos, Bulgária, Romênia, Chipre, Irlanda, Reino Unido, Croácia. Uma pessoa não pode ficar em um desses destinos sem um visto determinado, além do que é permitido e na maioria dos casos é definido esse período de validade. Para passar mais tempo, deverá ser concedido pelos oficiais de imigração de um país.

Como é concedido esse visto

Para a concessão desse visto é pedido muitos documentos que são solicitados diferentemente em cada país. Por exemplo, esses documentos podem ser os pessoais, um comprovante de hospedagem, passagens de ida ou de volta, seguro de viagem, um comprovante de renda dos últimos meses, uma comprovação de que conseguirá permanecer nesse país e outros documentos que poderão ser pedidos.

O processo deste visto

O processo pode variar e será de acordo com o país. Em alguns, poderá haver a necessidade de preencher apenas um formulário que pode ser online e em outros casos, será preciso que compareça presencialmente na embaixada ou consulado. Há vistos que podem durar meses, anos e alguns destes vistos podem durar um curto ou período que possa ser pré-determinado.

Principais razões para a recusa de um visto

Um requerente pode ter recusado um visto pelo não cumprimento para a admissão ou entrada sob as leis de imigração em um país. Essas razões são por fraude, engano, deturpação, o de possuir algum antecedente criminal, ser considerado como uma ameaça à segurança nacional, tenha alguma violação anterior de visto ou de imigração negados, não querer voltar ao seu país natal.

Não fornecer provas ou documentos para o pedido do visto pretendido, não ter um motivo para a sua viagem, não ter condições adequadas de apoio financeiro, sem um seguro médico adequado, principalmente no caso de estar envolvido em atividades de alto risco, como escalada, esqui e outros, sem provas de sustento, sem estadia, com uma doença sexualmente ou não transmissível e passaporte fora da validade.

A imigração

Tenha sempre em mãos todos os documentos que serão necessários para se mostrar as autoridades que são brasileiras ou de outro país. A maioria dos países proíbe, com maior ou menor grau de controle ou de severidade, como a entrada de produtos que são de origem animal ou vegetal. Os imigrantes sempre devem responder com muita seriedade as perguntas dos agentes policiais ou de imigração local.

A assistência consular no exterior

A Rede Consular do Brasil é considerada como uma das maiores do mundo, já que Embaixadas e Consulados que são brasileiros podem ser acionados em caso de alguma necessidade. Anote sempre essas informações de contato de uma Embaixada ou Consulado, que esteja mais próxima de um viajante. Mantenha sempre essa informação guardada consigo e em local seguro.

O tempo para solicitar o pedido de visto      

Independente do destino que se vai, tenha sempre em mente que o mais importante é o de se programar e esse prazo podem variar, de acordo com a época do ano. Em períodos antecedentes as férias, a tendência é que esse prazo possa ficar um pouco maior para essa emissão. Contudo 90 dias que antecedem essa viagem é um prazo bem confortável ou se não conseguir, em até no máximo 40 dias essa solicitação.

O tempo para se ter esse visto em mãos 

Isso dependerá do país. No Canadá esse prazo médio pode chegar a 10 dias que são úteis e na Austrália esse visto, pode sair em menos tempo, mais ou menos 1 ou 2 dias e tudo dependerá da documentação que deverá ser apresentada e do retorno dos consulados. Consulte sempre maiores informações antes de emitir a sua passagem e confira se o seu destino exige ou não um visto. Tenha uma boa viagem.

Como contratar um seguro para a sua viagem

Contratar um seguro para a sua viagem é tentar se livrar de muitos problemas. Com ele, podem ser evitados muitos transtornos como o de doenças, extravio de sua bagagem ou qualquer outro imprevisto. Por isso, é muito importante a contratação desse seguro viagem para o seu destino. Um bom seguro é aquele que cobre qualquer problema e aqui vamos lhe dar muitas dicas.

Como se dá o funcionamento desse seguro viagem

Ele funciona como um plano de saúde que pode ser utilizado por um determinado tempo, agindo como se fosse uma garantia para muitas situações que podem ocorrer nessa viagem ou para acidentes. É válido para os dias que forem contratados, dentro de normas que são estipuladas em cada contrato. Pode ser feito para viagens internacionais, já que os planos de saúde brasileiros não serão válidos.

A necessidade desse seguro viagem

Ter um seguro viagem é de extrema necessidade, pois, acidentes ou doenças podem acontecer com qualquer viajante. Se o problema for grave, o custo de um tratamento no exterior pode ser bem caro e nem todos os países atendem de graça. Por esse motivo que não vale correr o risco. Esse seguro também pode valer para serviços de extravio de bagagem, remarcação de passagem e até para os casos de morte.

O que deve ser avaliado para essa contratação

É muito importante realizar algumas avaliações para essa contratação, como o de avaliar o seu destino, para os procedimentos que são relativos a uma emergência médica, avaliar os tipos de coberturas, que podem ser as básicas ou as que são adicionais, como um seguro de bagagens e até quais os destinos em que a contratação desse seguro pode ser obrigatória.

Comparando os preços

Comparar os preços sempre é uma dica que não pode ser descartada ao se contratar um seguro para a sua viagem. Com essa comparação de preços é possível achar os melhores preços. Compare esses preços por pelo menos 4 seguradoras diferentes e veja todos os seus detalhes, que podem auxiliar e muito, na contratação desse seguro viagem. Essa contratação deve ser em base no dia do seu embarque a essa viagem.

Os seguros de seu cartão de crédito

Muitos cartões de crédito também oferecem serviços que cobrem a perda, o roubo ou a clonagem desse dinheiro de plástico, o que pode ser um grande transtorno em sua viagem. Devido a isso, é muito boa também essa proteção extra. Deixe anotado o telefone para o contato com esse banco e habilite o seu celular para receber mensagens SMS, com mensagens de consumo até um determinado valor.

Como contratar esse seguro

Os seguros podem ser contratados por empresas que são especializadas em seguro ou pelo próprio banco do viajante. Pode ser diretamente pela companhia aérea que foi escolhida pela sua viagem, no mesmo site em que a compra da passagem foi realizada, nas agências de turismo ou em operadoras de cartão de crédito. A maioria desses serviços podem ser contratados diretamente pelo site das empresas e sem burocracia.

As viagens e esse seguro

O seguro para essas viagens pode ser contratado para os destinos que são aqui no Brasil ou para as viagens que são internacionais. No Brasil, muitos brasileiros, tem planos de saúde, por causa disso que esse serviço não é tão comumente contratado. Esses seguros podem ser feitos de acordo com os países de destino ou o tipo de atividade que será realizada em sua viagem.

As regras para a contratação desse seguro

Ao contratar esses seguros, o viajante deve informar a complexidade para a contratação desse seguro, informando todos os detalhes para a seguradora. Esses seguros não seguem a mesma regra em todos os países de destino. A seguradora deverá informar se há alguma especificidade sobre o país de destino e exija que se possam enviar detalhes desse contrato. Os seguros serão tão completos quanto o pacote contratado.

Evite seguros que são desconhecidos

O consumidor deve evitar pela contratação de seguros que são desconhecidos e com um difícil atendimento para o usuário. Opte por seguradoras que são grandes e também conhecidas. São motivos para que o consumidor tenha a certeza de um bom atendimento e que seja eficiente na hora que mais precise. Estamos nos referindo às seguradoras e também quanto as de cartões de crédito.

O tempo de contratação para esse seguro

Ao contratar esse seguro o viajante pode escolher por no mínimo o mesmo tempo de duração dessa viagem. Atrasos em companhias aéreas ou demais imprevistos podem acontecer e por isso, a sugestão é que esse contrato seja feito com mais 2 dias a mais ao término dessa viagem, para que se fique garantido o seu retorno. Entretanto, essa contratação pode ser feita até mesmo na véspera dessa viagem.

O que esses seguros podem cobrir

As coberturas para esses seguros podem ser em atendimento médico ou odontológico 24 horas, para o cancelamento dessa viagem, despesas farmacêuticas, hospedagem após alta hospitalar, remarcação de passagem para regresso, repatriação médica ou funerária, indenização em caso de morte, acidente ou invalidez permanente ou total, bagagem extraviada, despesas jurídicas e pagamento antecipado de fiança.

Como comprovar que se tem um seguro na viagem

A comprovação de que o viajante tem um seguro se dá por meio eletrônico ou com um contrato que seja físico do seguro que foi escolhido pelo viajante, mesmo para os seguros que são relativos ao cartão de crédito. Pode haver a possibilidade desse seguro ser exigido na imigração do país de destino e que será muito útil para um caso de emergência para se entrar em contato com a empresa que é do seguro que foi contratado.

O atendimento com esse seguro viagem

Provavelmente a seguradora enviará um médico até o viajante ou indicará um local para o seu atendimento ou um serviço que seja conveniado para que esse atendimento seja realizado da melhor forma possível e de acordo, com o que foi contratado. São procedimentos padrões e mais comuns e funcionam como um sistema de ressarcimento para os seus contratantes. Leia as cláusulas no contrato e tenha esse serviço.

Características de uma passagem aérea com animal de estimação

O momento de realizar uma viagem em um avião com um animal de estimação pode ser um grande desafio. Nem sempre familiares, amigos ou vizinhos estão dispostos a cuidar desse animalzinho de estimação. Levar esse animal por essa viagem pode uma boa ideia, apesar do que muitas pessoas acham complicado. É muito mais fácil do que se pensa. Vamos saber mais!

A reserva para esse animal na viagem

Cada companhia aérea possui um método que é diferente para essa cobrança. O que é comum para todas as companhias é o não pagamento de uma passagem que seja extra, o que nem sempre pode ser vantajoso, por causa dessa passagem ser mais barata e o transporte desse animal ser mais caro. Comece reservando o lugar de seu pet em seu voo.

As normas para o transporte dos bichinhos

Há algumas regras que são para o transporte de animais em um voo e que podem ser bem diferentes, dependendo da companhia aérea. Existem linhas aéreas que podem permitir que esse bichinho possa viajar ao lado do passageiro na cabine. Outras companhias podem permitir que esse animal possa viajar ao lado da cabine, junto com a bagagem ou com uma gaiola ou caixa de transporte.

Como embarcar com o seu pet em voos nacionais

Em viagens que são nacionais o certificado veterinário é um documento que deve ser apresentado para atestar a saúde do seu animal. É emitido por um veterinário, com validade de 10 dias e em voos no Brasil também será necessário que se apresente a Carteira de Vacinação do seu pet. Animais a partir de 3 meses de idade devem ter também o Certificado de Vacinação antirrábica.

Para o embarque com animais em voos internacionais

Para as viagens internacionais os animais também precisam de alguns documentos como o Passaporte e o Certificado Internacional de Vacinação. Contudo, essa documentação que será necessária pode variar e isso pode ser de acordo com o destino escolhido. São documentos que são específicos para o seu animal.

Os documentos exigidos nessa viagem internacional 

É o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) que é um documento emitido pelo serviço sanitário oficial do país de origem, atestando a procedência desse animal e para garantir as condições sanitárias que são exigidas para o trânsito internacional de animais, com uma validade que pode variar de acordo com todas as normas de um determinado país.

Como esse CZI pode ser emitido

O Certificado Zoossantário Internacional pode ser conseguido em um Sistema de Vigilância Agropecuário Internacional, a sigla é (Vigiagro) que faz parte do Ministério da Agricultura, Pecuária ou Abastecimento, que fica nos aeroportos ou nas Superintendências que são Federais de Agricultura em cada estado internacional.

O atestado de saúde para esses animais

Filhotes que tenham menos de 3 meses de vida e que ainda não tenham tomado a primeira vacina, só podem embarcar em um voo internacional se houver uma autorização expressa pelo veterinário. O atestado de saúde é emitido pelo veterinário também e tem uma validade de 10 dias, que vai desde a sua emissão. A vacina antirrábica é para animais com mais de 3 meses de idade.

O laudo de sorologia

É mais um documento para embarque do seu bichinho de estimação em voos que são para fora do Brasil. É um documento que demanda muito tempo e planejamento. É essencial para quem vai para a Europa, com uma amostra de sangue sendo enviada para análise por um laboratório que seja credenciado pela União Europeia no Brasil ou por outro laboratório credenciado no exterior.

O passaporte para esse bichinho

Existe sim, um passaporte para o Trânsito de Cães ou Gatos, em viagens ao exterior. É um documento emitido pelo Ministério da Agricultura, podendo até ser trocado pela Carteira de Vacinação de seu pet. É aceito em alguns países do exterior. É muito importante que o viajante se informe sobre quais documentos de seu bichinho pode ser exigido.

O Microchip ou tatuagem  

Alguns destinos internacionais ainda podem exigir um microchip que é um dispositivo implantado na pele do seu animal, com um código com letras e números que funciona como uma espécie de Registro para o seu animal. A tatuagem também é com informações, que em muitos casos fica localizada atrás da orelha. O dono recebe uma etiqueta que deve ser apresentada na hora do check-in.

Cuidados com esses animais

É de fundamental importância também se preocupar com o bem-estar desse animal. O animal não sabe o que é check-in, filas, aeroportos ou aviões e tudo isso, pode agitar esses bichinhos e até comprometer a sua saúde. Cuidado nesse transporte, para que essa viagem seja muito segura e confortável. Avalie a real necessidade de se estar levando esse bichinho. Habitue e higienize o seu pet na caixinha.

Detalhes que também podem ser estipulados

Muitas companhias aéreas também estipulam outros detalhes como a idade mínima para esses animais, o porte e muitas outras características desses animais que podem ser determinados pelas companhias aéreas. O viajante sempre deve checar todas essas informações com a companhia, a qual se pretende realizar essa viagem, para que sejam evitados todo e qualquer imprevisto. Procure nos sites das empresas.

Durante a viagem  

Nessa hora e independente aonde esse bichinho for transportado, que pode ser pela cabine ou em outro compartimento dentro do avião e longe de seu dono, a dica é sempre colocar por perto dele, uma peça de roupa com o seu cheiro ou algum objeto, que ele goste, para que ele se sinta mais seguro nessa viagem. Converse também com o seu veterinário para o caso de ser receitado algum remédio para ele.

O conforto desse bichinho nessa viagem

É importante que seja providenciada nessa viagem uma caixa de transporte e que seja adequada para o seu bichinho. Confira também outras exigências relativas a esse animal e pela companhia. Preze sempre pelo conforto e bem-estar do seu pet nessa viagem. Realize um processo de adaptação à caixa de transporte que deve começar com uns 15 dias antes dessa viagem. Boa viagem com esse bichinho.

Cancelamentos e mudanças em passagens aéreas

Explicaremos agora, sobre os cancelamentos e as principais mudanças que possam ocorrer em uma passagem aérea. Selecionamos aqui, algumas informações que todo viajante precisa saber, para o momento de mudar algum detalhe nessa viagem. Há algumas políticas para essas alterações, de mudanças e cancelamentos. Confere conosco, quais são agora.

Confira esses itens na compra de sua passagem

Antes da confirmação dessa viagem, verifique o país, a cidade, o aeroporto, se está de acordo com o sue roteiro de viagem, se irá descer no lugar certo, se haverá conexão entre os voos. Confira o seu nome, sobrenome, se está sem erros de digitação, verifique também o seu visto, se tiver e todos os seus documentos que são necessários ou exigidos para esse destino.

Um aviso

Remarcar ou cancelar uma viagem aérea não é uma tarefa muito fácil. É um processo que poderá exigir de seus passageiros muita paciência, flexibilidade e claro, muita informação, orientação e ainda lembramos, que passagens que são compradas como promocionais ou em programas de milhas aéreas, no geral, nunca podem ser alteradas ou canceladas.

Alterações de nome

A companhia aérea desde o ano de 2017, pelas novas regras da ANAC, tem o dever de alterar de graça o nome do passageiro que tiver cometido algum erro de digitação, no preenchimento. Essa alteração deve ser feita antes do check-in, para que sejam evitados problemas durante esse embarque. Em voos para o estrangeiro, os custos dessa correção podem ser repassados para o passageiro.

Cancelando uma passagem aérea em até 24 horas

Todo passageiro pode cancelar uma reserva de voo, mas o serviço tende a ter algumas restrições. No caso, de pedidos que forem feitos em até 24 horas depois dessa confirmação da compra dessa passagem e desde que, tenha sido feita com até 7 dias ou mais antes da data desse embarque, será possível cancelar esse voo de forma gratuita e solicitar o reembolso.

Cancelamento da passagem aérea após as 24 horas

Após o período de 24 horas, o passageiro também poderá remarcar essa viagem para outra data ou solicitar o reembolso desse valor que já foi pago. É um serviço que também pode estar sujeito a eventuais multas ou ao pagamento da diferença tarifária e com valores que são aplicados e determinados, única e exclusivamente, pela companhia aérea em questão.

O prazo para pedido do reembolso dessa passagem

O passageiro tem um prazo de até 12 meses, que conta a partir da data de reserva dessa passagem e que constará para o pedido do valor que for pago de volta, como reembolso por esse cancelamento ou perda de voo. Geralmente, são descontadas algumas taxas e que são a de cancelamento, de comparecimento e a taxa de reembolso que é de acordo com as regras tarifárias que foram contratadas.

A remarcação de uma passagem aérea

É possível alterar a data de uma passagem e a sua hora, até 3 horas antes do embarque. Contudo, essa alteração pode implicar em valores, que são como uma multa ou taxa de alteração e de diferença tarifária. Essa porcentagem ou custo extra é sempre definido pela companhia aérea, que pode ser promocional, econômica ou executiva, para que, sirva de exemplo.

Alterações de dados importantes nessa passagem   

Toda alteração de dados que são importantes nessa passagem, como alterações de trajetos ou de horário de passagem adquirida, será gerado um custo e essa taxa de alteração é um valor que poderá variar de acordo com a companhia aérea escolhida. Além de tudo isso, essa passagem ou alteração estará sujeita ao valor ou a disponibilidade de dia e de horário que se queira mudar, pela companhia.     

A multa para remarcação desse voo

Em todos os casos, a multa para a remarcação de voo, deverá ser acrescida de uma diferença que é tarifária, que é entre um voo considerado como original e o novo voo, que é o desejado pelo viajante, que tende a ser maior. Quanto mais lotado e mais próximo esse voo, também o preço dessa multa aumenta. Consulte sempre antes de sua viagem todos os detalhes, de suas regras tarifárias em seu bilhete.

Guardando a confirmação da compra desse bilhete

Guarde sempre essa confirmação de compra desse bilhete. Será ele, quem informará o valor que for pago, um itinerário dessa viagem e o nome dos passageiros, que são informações extremamente úteis e que servirão de provas, em casos de problemas ou para os casos, aos quais se precisem cancelar ou alterar por algum motivo essa viagem. Será esse bilhete a prova da compra.

Nunca compre passagens por impulso

Em épocas de baixa estação, é muito comum que as companhias aéreas possam oferecer passagens aéreas com bons descontos e o passageiro deve ficar atento ou de olho em algumas restrições, que são relativas a um não reembolso da tarifa, um não acúmulo de milhas e há um tempo mínimo de estadia no destino ou os meses que são específicos nessa viagem.

Fique sempre atento

Mantenha a sua atenção em tarifas que são para cancelamentos ou de alteração de viagem. Antes da compra dessa passagem, verifique se você terá tudo o que realmente é necessário para essa viagem. Se organize a tempo, para não ter que cancelar essa viagem ou que tenha uma tarifa de cancelamento cobrada pela companhia e ainda possa te pegar desprevenido.

Comparando os preços

Em geral, no momento da compra de uma passagem aérea é muito importante comparar seus preços, avaliar a sua flexibilidade, que é oferecida em cada tipo de tarifa por uma companhia aérea e o seu custo adicional. As taxas são aplicadas em cada alteração e mudar uma mesma passagem, 2 ou 3 vezes poderá gerar mais 2 ou 3 taxas nessa mesma passagem aérea.

Compre a sua passagem com absoluta certeza

Apenas compre uma passagem aérea com absoluta certeza de que irá poder fazer e que concorde com todas as suas regras. Atente-se sempre a todas as regras das companhias aéreas e evite possíveis prejuízos, para o caso de mudanças de seus planos de viagem, antes de reservar um voo. Confira todas as suas condições de passagem a ser reservada e boa viagem.

O que é a comercialização de milhas aéreas?

Todos nós já ouvimos falar sobre milhas aéreas, programas de fidelidade e de pontos. Não é mesmo? É você do fundo do seu coração, sabe o que são esses nomes e como utilizar da melhor forma? Se não souber, vamos explicar tudinho, com o que se precisa saber para se começar a usar este recurso e o melhor, sempre a favor de suas finanças.

O que são as milhas nas passagens aéreas

São os pontos ou programas de fidelidades que são oferecidos pelas companhias aéreas. Na hora de se cadastrar nesses programas de milhas, o usuário poderá acumular pontos ou milhas, nas vezes que for viajar em voos que são de empresas que são proprietária ou parceiras de programas de fidelidade, que são acumuladoras de pontos e milhas.

Como isso funciona

Ao se acumular uma determinada quantidade de milhas e que seja suficiente para um usuário, no programa de fidelidades, se pode trocar por uma nova passagem aérea em um trecho que seja nacional ou internacional. Dependendo também desse programa é possível, trocar produtos ou serviços. Será necessário se inscrever nesses programas, realizando um cadastro no site.

O cadastro

Esse cadastro para a geração de milhas, geralmente é com um número de inscrição, que é gerado ao fim de um processo pelo usuário. Será esse número que irá representar uma conta, na qual serão depositadas essas milhas. É importante que ao reservar um voo ou na hora do check-in, sempre apresentar o seu número de inscrição ou de usuário para que essas milhas sejam geradas.

O acúmulo de pontos e de milhas aéreas

Primeiro se deve cadastrar para se acumular milhas em programas que são de fidelidade das companhias aéreas e depois fornecer um número de login que é de identificação, sempre que comprar essas passagens por essas companhias. A outra forma de se acumular pontos ou milhas seria em programas que são de fidelidades aéreas, comprando produtos de lojas parceiras e transferindo esses pontos para o seu cartão de crédito.

Como gerenciar essas milhas

Na hora que for gerenciar essas milhas e os pontos em todos os programas de fidelidades que são disponíveis, para se consultar o seu saldo, seu extrato, suas opções que são de resgate e pontos que irão expirar, há muitos aplicativos para isso. Neles, são reunidas muitas informações de que se precisa para se acompanhar em tempo real as suas milhas e também as regras existentes em cada programa.

A escolha pela melhor empresa que comercializa essas milhas

O usuário para escolher essa melhor empresa, precisa pesquisar e muito, já que essa escolha deve ser de forma bem minuciosa. Nunca deixe de procurar por informações na internet. Pergunte também por referências que são de seus amigos, que já usaram e realize uma análise da empresa em sites que são especializados. Meça sempre a confiabilidade dessa empresa e observe se essa empresa trabalha com bons valores.

A regulação para a comercialização dessas milhas

Não há nenhuma regulação oficial ou alguma lei que impeça a venda dessas milhas em passagens aéreas. Entretanto, todos os principais programas de milhagem em companhias aéreas no Brasil, proíbem a prática em seus regulamentos, ao qual, o cliente deve concordar para aderir. Há uma grande quantidade de sites que são especializados em compra ou venda de milhas.

O que é permitido em programas de fidelidades das companhias aéreas

Todos os programas de fidelidades em companhias aéreas permitem a compra, a transferência ou uma revalidação desses pontos que são expirados. Essas transações devem ser realizadas por meio de ambientes de programas e nunca em sites de terceiros. Não é possível vender milhas nesses programas e com os usuários podendo resgatar esses pontos e trocá-los por produtos, de eletrônicos a ingressos de cinema.

Os clubes de milhas das companhias aéreas

É com o pagamento de mensalidades, os integrantes que são desses clubes acumulam pontos que lhes permitirá acumular milhas, com o usuário ganhando pontos que são extras. O acúmulo de milhas por esses clubes é bem mais barato e muito mais rápido do que as que forem acumuladas em um cartão de crédito. Os membros desses clubes também têm promoções que são exclusivas.

O número de milhas que os sites compram

No geral, essas comercializações podem cobrir lotes que são a partir de 6 mil milhas. Quanto maior o número de milhas que o cliente queira vender e a melhor cotação que ele obtém. Isso acontece devido a ser facilitado o resgate de pontos e a emissão de passagem por essa empresa que comprou essas milhas. As transações que são com mais de cem mil milhas garantem um preço superior incluído no negócio.

O mercado dessas milhas

As empresas que compram essas milhas funcionam como um mercado, aos quais, os pontos acumulados em programas de fidelidades que são ligados a essa companhia aérea, como os pontos que são acumulados em voos, como também os pontos que são transferidos de cartões de crédito ou de outros parceiros. São todos comercializados como uma moeda de troca.

A cotação nessa comercialização

Essa cotação nesse mercado de milhas pode variar diariamente, o que pode ser conforme a oferta e demanda. Essas empresas também verificam os valores que são praticados por seus concorrentes para que essa precificação possa ser feita. O cliente fornece login e senha em seu programa de fidelidades, para que o site que comprou as milhas possa resgatar os pontos e posteriormente emitir um bilhete aéreo.

Um negócio muito vantajoso

Esse tipo de comercialização de milhas em passagens aéreas pode ser muito vantajoso para ambos os lados. O mais importante é o de se certificar pesquisando o preço de passagens com companhias aéreas, para não se pagar mais caro, por determinado trecho. Pesquise pela internet e meça a confiabilidade dessa empresa, sempre procurando por um telefone de contato, um endereço, CNPJ e outros dados.

Algumas preocupações

Além de preocupações de idoneidade dessas empresas, há preocupações com os valores que são diários, ao regulamento desse programa e o valor mínimo que pode ser comercializado. Cada empresa aérea possui um limite que é próprio. Tenha paciência na escolha pela melhor empresa e não faça um negócio que não lhe dará benefício algum com a comercialização dessas milhas nas passagens aéreas.